sábado, 6 de novembro de 2010

Choro

Meus olhos clamam a ti, por um momento,
Com a fluidez de um lamento que escorre,
Tentando livrar-se do sentir que não morre,
Pois é na alma que se escondem os sentimentos
Que por ti despejo, num calado desespero...

Nenhum comentário:

Postar um comentário