segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Na terra de 'Caras' e bundas...

De fato, há certo voyeurismo no consumo das revistas mais famosas em consultórios médicos. Entre fofocas, futilidades e ou opiniões tendenciosas, pessoas esvaziam suas cabeças num contraditório ritual que tem como objetivo máximo a hipócrita admiração pelo “glamour” da vida dos famosos.

Pessoas de quaisquer classes sociais são atraídas pelo mundo de fantasia gerado em torno da especulação dos famosos e seus hábitos, por mais absurdos ou mascarados que sejam, em matérias “hiperproduzidas”.

Qualquer motivo que aproxime os “mortais” dos mitos instantâneos, ou melhor, famosos, como um casamento em uma ilha distante e badalada ou o nascimento de um bebê, é motivação para que os curiosos de plantão dêem aquela “espiadinha”.

Falando em espiar, o que dizer da obsessiva audiência do público que torce para que um desconhecido ganhe um milhão de reais, mesmo que lhe dêem apenas entretenimento gratuito para que esqueça sua própria realidade?

Constantemente, nos maravilhamos com uma vida ilusória, nos contentando com o escape estampado pelas diferenças em nossa sociedade, esquecendo sempre que temos que construir nosso conhecimento cotidiano para evoluirmos como cidadãos.

Um comentário:

  1. É, rapaz. A sociedade "evoluiu" pra um estágio onde dizem que todos têm a oportunidade de serem grandes, de terem algo...e cadê isso? Antigamente, pobre era pobre e ia sempre ser pobre, e rico era rico e sempre ia ser rico. Hoje pobre pode sonhar em ser rico...mas prefere ficar em seu barraco apenas sonhando...sempre sem oportunidade, mas nunca sem TV!

    ResponderExcluir