sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Meu pranto (trova)

É chaga por trás d’olhar
A dor que vem implorar,
Jorrando tanto chorar,
Meu pranto que não tem lar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário