terça-feira, 19 de junho de 2012

Estranha saudade...


Ela me deixou, sem que eu pudesse sentir o sabor de seus lábios. Seria possível que ela apenas tenha passado por minha vida para brotar saudades em meu peito? Talvez ela tenha me ensinado a não criar mais expectativas e suportar meus próprios sentimentos, tão fervorosos e ao mesmo tempo tão calados.

Ainda lembro dos momentos em que a distância era amargamente tênue entre nós dois. Ainda que eu nunca tivesse ouvido seu coração, queria tanto que ela ouvisse de mim alguma prova de amor! A distância e a timidez, no entanto, nunca me permitiam falar.

Restou apenas a dúvida sobre o que ela sentia por mim e a certeza de que eu a amava de forma platônica. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário