segunda-feira, 27 de junho de 2011

Sonhar, um delírio...

Sonhar é sentir com asas
Os frágeis passos do paraíso,
Flutuando em pensamentos,
Que, surreais, enganam a vida!
Desilusão que brota do desejo,
Clamando para que seja verdade...

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Manhã de feriado

Sinto a brisa fresca ao acordar!
Em doses lentas, a paz vem sussurrar
No canto dos pássaros que hei de escutar
Ou ainda d’um solitário assobiar...
Sem pesar, meu pensar é leve
E pelo mesmo levo o dia, a caminhar...
Usufruo de cada momento raro,
Pois o tempo é livre enquanto se vive!

domingo, 12 de junho de 2011

Madrugada adentro...

Vagam as horas vagas,
Percorrendo o silêncio
Das noites em claro...

Entre certezas frágeis,
Expostas na luz intrusa
De um quarto vazio,
Suplico a mim mesmo
Que descanse em paz!...