terça-feira, 30 de agosto de 2011

Amor ausente (haicai)

Sem tê-la nos braços,
Seguindo pelo vazio,
Sou dor sem você!

Essa dor... (haicai)

O que dói no peito
É o sentir escorrendo
Pedaços de mim...

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Estação de lágrimas

Do choro que minha face expõe
Às chagas que na alma restam,
Sou alma em busca do abismo,
Tentando fugir de sentimentos
Para livrar-me do próprio eu.
Morro a cada suspiro de dor,
Vivendo dias sem fé ou amor.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Rotina em pedaços (trova)

Esquivo-me dessas pedras,
Deixando pelo caminho
Toda dor e as mazelas
De quem segue já sozinho.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Adeus, amor (trova)

É rumo que já não sigo
O sabor do beijo teu...
É dor, que a ti suplico,
A falta do próprio eu!

domingo, 7 de agosto de 2011

Rua deserta (haicai)

Caminho, fugaz,
Pelo silêncio que diz:
Que paz infeliz!

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Detalhes

O que os minuciosos detalhes são
Senão cicatrizes entre a perfeição?
Traços da artificial beleza
Em que o escape impera,
Tapando a natural riqueza
De quem da vida espera!

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Desabafo

Estas palavras jogadas ao vento
Não são mais que um desalento,
Mas o puro sentir de um momento
Que sai de mim em tom de lamento.