quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Na beira do mar... (trova)

É num vazio imenso
Que a plena liberdade
Vem trazer, entre acasos,
Banhos de felicidade!

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Contato (haicais)

Segue a criança
Em plena desconfiança...
Sede de surpresa?

Estaria apenas
Conhecendo a si mesmo
Na paz de saber?

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Saudade (haicai)

É alma sem corpo,
Pedindo para que volte
A paz de ser dois.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Amor? (Trova)

Grande amor que te dei...
Jogou fora sentimentos
Dos mais puros e sinceros!
A mim, restaram lamentos...

Campos de amor (Trova)

Das rosas, só os espinhos
Restaram no caminhar...
Hei de plantar, paciente,
Campos d’amor a brotar!

sábado, 11 de dezembro de 2010

Haicai aflito

Tediosas horas!
Um constante sofrimento...
A paz foi embora?

Louca mente (haicais)

Lágrimas e sangue?
É alma que implora,
Expondo a dor...

Porém, resistindo,
Invencíveis inimigas,
Marcas da loucura...

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Cotidiano carioca (em haicais)

A todos os mitos,
Peço proteção e paz
Ao povo que chora...

Vítimas da guerra
São alvos cotidianos...
Só resta rezar!

O Redentor ergue
Seus braços, que imploram
A paz na cidade!

Maré triste

Olho para a minha alma
E choro ondas silenciosas...
Nem um único barco a mover-se
Por minhas lágrimas, num oceano
Em que minha alma nada...
E é apenas o nada,
Na imensidão do vazio!...